Página VII

Ambrosio fez sinal para que os policiais o seguissem e se colocou a caminhar por entre as lápides, túmulos, sepulturas e os corredores formados por elas, em poucos minutos eles passaram pelo lugar onde o corpo com o tórax dilacerado tinha sido encontrado, e do lado oposto ao de onde foi achado a arma das balas de prata, o coveiro parou e apontou para o chão junto a uma sepultura, lá estava uma pequena caderneta vermelha. Marco se abaixou com cuidado e recolheu o pequeno livro, ao abri-lo para examinar, a primeira coisa que viu foi à foto do homem achado a poucos metros dali.
__ É a foto do último que nós encontramos. _ Ele olhou para o coveiro e depois para o sargento. Que perguntou:
__ É só isso que tem aí?
__ Não, tem também o nome do sujeito; Pdr Giovanne Poggimartro.
Eles não precisavam analisar muito o documento para verificar que se tratava de um passaporte e a julgar pela inscrição, Governo D’Itália em sua contra-capa; logo chegaram à constatação de que se tratava de um passaporte Italiano.
__ Parece que o assassino matou um turista italiano._ anunciou Marco.